Aprenda a identificar sua fome e saciedade

Atualmente as pessoas estão sofrendo com o chamado terrorismo nutricional. Hora o ovo é vilão, hora é mocinho. Já não sabem mais o que comer.

Em primeiro lugar, o indivíduo deve se reconectar consigo mesmo, com seu corpo, e escutar os sinais que ele dá. Se o corpo sinalizar fome, deve-se comer. Se sinalizar sede, deve-se beber.

Parece simples né? E deveria ser. Mas com o tempo, o ser humano foi parando de escutar seu corpo e passou a ouvir o que outras pessoas dizem que ele deve fazer. Se dizem que comer tal alimento é bom para emagrecer, quem quer emagrecer passa a comer esse alimento. Mas e a individualidade? E as suas preferências? Não estão sendo levadas em conta.

Ao aprender a ter controle da fome e detectar o ponto de saciedade, o indivíduo pode se permitir comer alimentos menos saudáveis, pois ele comerá até a sua saciedade, ou seja, somente o que seu corpo precisa. Aprenderá a dizer “não” ao exagero desnecessário.

É importante ficar claro também que, gostar de comer não deve ser visto como um problema. Uma das funções dos alimentos é dar prazer e comer é primordial para a nossa sobrevivência. O que deve ser feito é, mudar essa perspectiva. Passar a explorar o ato de comer toda vez que se alimentar. As pessoas dizem que gostam de comer, mas muitas vezes comem em 2 minutos ou não prestam atenção no que estão comendo. Passar a explorar todos os sentidos como sabor, aroma, textura, as lembranças que o alimento traz, ajudam inclusive, a gerar mais saciedade.

Para comer até a saciedade, é necessário reconhecer o que é fome, saciedade e vontade de comer:

Fome: Não é específica. Qualquer alimento que você tenha disponível e goste pode matar a fome. Pergunte-se: eu comeria se a opção fosse um ovo cozido? O que estou sentindo é fome? Se a resposta for sim: coma em quantidade e qualidade. Se a resposta for não: pule para o próximo item.

Vontadezinha: Relacionada a uma situação social. Envolve o contato com o alimento. Aparece quando o alimento está disponível, vemos, sentimos cheiro, ouvimos falar do alimento. Também chamada de fome social. Pode fazer com que comemos “no modo automático”, ou seja, sem perceber, de forma inconsciente. É como aquele amendoim que está em cima da mesa e acabamos pegando, mesmo que sem fome. O que estou sentindo é vontadezinha? Se a resposta for sim: avalie se precisa realmente comer. Se possível, não coma, mas, se não foi possível, coma uma pequena quantidade, com moderação e atenção ao ato de comer. Torne a situação consciente e preste atenção para valorizar o momento e não sentir-se culpado depois. Se a resposta for não: pule para o próximo item.

Vontade: É bem específica, mas não é urgente. Relacionada ao prazer, a sentir o gosto, degustar, apreciar, saborear, preferências. Envolve comer devagar e quantidades não exageradas. Pode ter um contexto de lembrança ou memória alimentar, vontade de reviver um sabor gostoso, experimentação de algo novo etc. O que estou sentindo é vontade? Se a resposta for sim: coma com prazer! Você merece! Se a resposta for não: pule para o próximo item.

Vontadezona: Não é específica, mas envolve a necessidade de comer algo gostoso. Também chamada de fome emocional. Não satisfaz com pequena quantidade, necessita de grande volume e urgência. Pode, às vezes, se originar de um acúmulo de vontade que não foram respeitadas e aceitas, por conta do pensamento restritivo. Dessa forma, algumas vezes acaba-se comendo de forma impulsiva, sem pensar no gosto, fazendo misturas de sabores “que não combinam”. Ao mesmo tempo que se come, pode ocorrer pensamentos como “não era bem isso que eu queria” ou “nada me satisfaz”. O que estou sentindo é vontadezona? Se a resposta for sim: cuidado! Provavelmente o que você precisa não é comida e deve estar relacionado a um componente emocional. Pare, sinta e reflita. Emoção assumida não vira comida!

Comendo só com fome:

  • Ao identificar que está com fome, dê uma nota de 0 a 10 para ela. O ideal seria que o consumo alimentar se desse a partir da nota 5.
  • Sinta o que seu corpo te fala. Como está seu estômago? Como está seu nível de energia?
  • Identifique as emoções que sente no momento.
  • Analise se está com fome mesmo (qual foi sua nota para a sua fome?) ou se é vontade de comer (descrição acima).
  • Se estiver com fome mesmo (a partir da nota 5), decida o que comer, dentre as opções de alimentos que fazem bem à sua saúde.
  • Coma até ficar satisfeito, e não cheio/estufado (por exemplo, uma nota 7 para sua fome).
  • Parar e colocar a comida de lado.

Se você ou alguém próximo sofre com compulsão alimentar ou não tem uma boa relação com a comida, procure um nutricionista para ajudar nessa caminhada.

Heloiza Muniz
Nutricionista CRN3 30096
Instagram @heloizanutri